5 Dicas Extraordinárias para Estudar e Trabalhar nos EUA legalmente

Bandeira dos EUA

Poder estudar e trabalhar nos EUA legalmente é um assunto que deixa muitas pessoas com dúvidas sobre como conseguir!

Fazer alguma faculdade ou até mesmo curso de inglês no exterior, conta muito no currículo. Afinal de contas, as instituições de ensino são mundialmente reconhecidas.

Trabalhar lá, também é uma ótima forma de abrir as portas para uma vida cheia de potencial e oportunidades, tanto de evolução, quanto de ganhos.

Mas, como as regras de imigração são rigorosas é preciso estar ligado. Ou seja, é preciso buscar a forma certa de entrar legalmente

Então, se você quer saber como conseguir estudar e trabalhar nos EUA, continue lendo e confira nossas dicas!

Como Estudar e Trabalhar nos EUA legalmente?

Para você que quer estudar e trabalhar nos Estados Unidos de forma legal, separei abaixo 5 dicas que vão lhe mostrar como alcançar esse objetivo, confira a lista!

1. Currículo e visto:

Para residir nos Estados Unidos, é necessário ter uma ocupação e vale ressaltar que as leis trabalhistas são diferentes por lá.

Desse modo, o brasileiro precisa ter o visto americano. A melhor forma de conseguir o tão sonhado emprego é pondo seu currículo em inglês para vagas disponibilizadas lá.

Assim você tira o visto de residência ao arrumar um emprego e para conseguir isso, um dos sites mais indicados é o HIB.IO.

Caso consiga a vaga de emprego, será o empregador quem irá solicitar o visto de trabalho. Mas, ainda é possível ir para lá como estudante.

Em geral, isso é feito com auxílio de empresas de intercâmbio e as vagas possuem especificações a fim de garantir o ensino do estrangeiro.

2. Requisitos para trabalhar e estudar nos EUA:

Se você está indo com intenção de estudar, seu visto deverá ser de estudante, o WorkPermit. Pois, serão estipuladas horas semanais adequadas.

De modo que seus estudos não sejam prejudicados e que você possa bancar as despesas da residência!

  • J-1: para quem deseja estudar inglês e irá trabalhar 20 horas por semana com atividades restritas ao campus; 
  • F-1: permite arrumar empregos fora do campus;
  • M-1: no qual, o estudante não pode trabalhar durante os estudos.

Mas, para quem deseja ir para adquirir experiência profissional em sua área de formação tudo muda. Pois, a carga horária fica por conta diretamente do tipo de emprego e das leis trabalhistas locais.

Nesse caso, sendo preciso um visto de residência para trabalho, é preciso ter fluência no inglês e as opções temporárias são classificados como:

  • H-1B: é voltada para ocupações de especialistas, para quem possui alguma formação de no mínimo 4 anos ou certificado profissional;
  • H-2B: direcionado a estrangeiros, ele se destina a trabalhos sazonais ou temporários sem exigência obrigatória de qualificação;
  • H-3B: é o visto para estagiários estrangeiros que serão treinados em solo americano pela empresa na qual trabalham, desde que esta capacitação não exista em seu país.

Já o visto para trabalhar definitivamente nesse país, exige a retirada do Green Card que é a cidadania americana.

3. Áreas fáceis de arranjar emprego:

Para quem vai trabalhar como estudante dentro do campus, os empregos são específicos como assistente de professor ou nos comércios que possuem contrato com a universidade:

  • Cafés;
  • Livraria;
  • Lojas;
  • Etc.

Já quem vai para trabalhar como residente, existem algumas classificações de empregos mais fáceis de se obter, com o visto H-1B:

  • Care: atuações como cuidador de idosos e crianças ou até mesmo, andador de cachorro (passeios);
  • Freelancer: são vagas temporárias, em geral, para cargos específicos;
  • Dice: são os cargos voltados para a área de tecnologia da informação;
  • Idealist: são vagas de voluntariado ou estágio destinadas a quem busca fazer um intercâmbio no país.

Cerca 85 mil vagas são abertas anualmente para esse tipo de vaga. Sua solicitação, deve ser feita dia 1º de abril a cada ano, com seleção aleatória de candidatos e duração de 3 anos. 

Podendo ser estendido para mais 3 anos, além disso, pode-se tentar obter a residência permanente ou Green Card.

4. Faça um intercâmbio:

Para quem pretende trabalhar e estudar nos EUA através de intercâmbio, é essencial procurar referências nesse meio.

Ou seja, busque indicações de empresas confiáveis com pessoas que você conheça. Caso não conheça ninguém, procure empresas bem faladas, com uma reputação no mercado.

Elas devem ser especializadas nesse tipo de serviço e o programa a ser oferecido deve atender aos seus objetivos.

Já em relação ao contrato, analise se nos dados do programa eles estarão especificados. Assim como, se os valores são aqueles mesmos acordados previamente.

De maneira geral, as empresas devem oferecer um pacote completo incluindo passagens, acomodação, moeda local e a retirada do visto.

  • O que preciso? Algumas vezes podem ser exigidos, além do visto, algum tipo de seguro e vacinas específicas, confira tudo isso de antemão para ingressar no país legalmente!

5. Considere estudar e trabalhar nos EUA como au pair:

Por fim, você pode considerar se tornar um au pair que é quando uma família americana paga sua hospedagem e curso em troca de serviços de:

  • Babysitter;
  • Tarefas domésticas.

Em geral, mulheres de 18 a 26 anos de idade é que mais são procuradas para esse tipo de trabalho pelas famílias.

Nesses casos, a moradia e alimentação costumam ser feitas na própria residência. Mas, ainda são cobertos gastos como passagem para ir estudar.

Chamadas de Host Family, esse programa americano possui regras específicas e ainda possui um salário que deve ser pago semanalmente.

Voltado para quem deseja estudar inglês, esse programa faz parte do visto de estudante J-1 e conta com uma experiência única de imersão e aprendizado em contato com a família hospedeira.

Conclusão

Portanto, se você deseja estudar e trabalhar nos EUA é importante considerar primeiramente qual é o foco da sua estadia no país.

É estudar inglês com imersão na cultura local? Fazer um curso de pós-graduação local? Ou estudar ao participar de um programa de treinamento?

Podendo ser até mesmo apenas trabalhar dentro da sua área de atuação, ganhando experiência fora do país.

De maneira geral, você precisa verificar as regras oficiais para cada opção. Garantindo assim, que consiga atender a todos os requisitos exigidos para seu ingresso legal!

Ainda possui alguma dúvida sobre o assunto? Deixe-a nos comentários para que possamos te ajudar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.